Dois anos de Projeto Escola Kabiria

Nessa data mais que especial para a gente, deixo a palavra com meu fiel amigo Jacob, que esteve comigo desde o início e me dá forças para sempre seguir em frente: “Antes do projeto tínhamos algo parecido com uma escola pois nem quadros suficientes tínhamos. Mas agora temos o orgulho de chamar de escola! As crianças estão comendo, as professoras estão sendo pagas, as crianças … Continuar lendo Dois anos de Projeto Escola Kabiria

O poder de um lápis.

Me lembro até hoje, 11 de outubro de 2015. Era um domingo com tempo agradável. Eu e meu fiel amigo Jacob fomos até o centro de Nairóbi para comprarmos os primeiros materiais para escola que os refugiados fundaram para as crianças da comunidade. Era o único dia que tínhamos tempo, mas a maior parte das lojas estavam fechadas, salvo por um mercado e uma barraquinha … Continuar lendo O poder de um lápis.

Sim, nós podemos!

O calendário marca 21 de outubro. Acordo e vou logo ver como está a vakinha, já que o dia anterior era o último para arrecadação. E lá estava a surpresa: 128% arrecadado. O dia, que já estava bonito, ficou mais radiante. Nós conseguimos! Não só conseguimos, como ultrapassamos a meta! Cheguei no trabalho para contar a novidade para os refugiados que estão me ajudando a … Continuar lendo Sim, nós podemos!

Arroz, feijão, sorrisos e gratidão.

Hoje fizemos o primeiro almoço na escola. Além dos alunos e professores, os pais das crianças se juntaram a nós para ver como a mesma estava sendo transformada. Chegando lá foi o mesmo ritual: as crianças correndo em minha direção dando high five com soquinho, o que agora se tornou nosso cumprimento oficial. Enquanto algumas mulheres refugiadas (algumas delas minhas alunas queridas) preparavam a comida, eu … Continuar lendo Arroz, feijão, sorrisos e gratidão.

Furahia siku ya mtoto!

Enquanto a maioria dos brasileiros celebra o dia das crianças, aqui ninguém nunca ouviu falar sobre tal coisa. Mas hoje foi diferente. A vakinha já está rendendo bons frutos e aproveitamos a ocasião para investir uma pequena parte do que arrecadamos em material escolar. Eu e o Jac fomos domingo a tarde pro centro empoeirado da cidade e voltamos com uma caixa cheinha de coisas, … Continuar lendo Furahia siku ya mtoto!

WE NOT ME.

“Meninos, eu tenho ótimas notícias!!” – exclamei assim que cheguei no atelier. Os olhos já começaram a brilhar feito crianças. – Conta logo Niki!! Falei que na noite anterior eu tinha lançado a Vakinha contando toda a história da escola e colocando a lista que fizemos especificando valores em reais para que as pessoas pudessem doar. – E aí??? – eles perguntaram curiosos, já com … Continuar lendo WE NOT ME.