Desventuras linguísticas em Rostov Velikij

“Toc toc” — alguém bate na porta do nosso vagão. Abri e dei de cara com a fiscal do trem que apenas disse “Rostov!” e saiu a passos apressados antes que pudéssemos fazer qualquer pergunta. Nem o “thank you” fez questão de ouvir, já que não falava outra língua a não ser russo. Estávamos chegando no km 224 da transiberiana. Uma cidade pequena e meio abandonada, mas … Continuar lendo Desventuras linguísticas em Rostov Velikij