Aeroporto.

O relógio marca 18:10 em Lima, Peru. Ainda devo esperar quatro horas para embarcar. Cansada de ler, parei para observar a sala de embarque ao meu redor. Bagagens viram mesas de jogos, celulares viram albums de fotografias, cadeiras viram camas, mochilas viram travesseiros, livros viram apoio para escrever (no meu caso), notebooks viram TV, pessoas chegam e pessoas partem; sozinhas, em casal ou em grupo. … Continuar lendo Aeroporto.