Lar, doce lar.

A expressão “viajar é bom, mas voltar para casa é ainda melhor” sempre me incomodou. Afinal, onde fica minha casa? Nasci e cresci em Criciúma, no sul do Brasil. É dali que mantenho meus maiores laços de relacionamento com família e amigos. Completei minha maior idade em Cambridge, na Inglaterra, e foi lá que descobri que viajar sozinha era possível, o mundo não era um … Continuar lendo Lar, doce lar.

Desventuras linguísticas em Rostov Velikij

“Toc toc” — alguém bate na porta do nosso vagão. Abri e dei de cara com a fiscal do trem que apenas disse “Rostov!” e saiu a passos apressados antes que pudéssemos fazer qualquer pergunta. Nem o “thank you” fez questão de ouvir, já que não falava outra língua a não ser russo. Estávamos chegando no km 224 da transiberiana. Uma cidade pequena e meio abandonada, mas … Continuar lendo Desventuras linguísticas em Rostov Velikij

Água fresca

Era uma tarde bonita e quente. Decidimos ir até o Navigli, os canais de Milão, caminhar e tomar uma cerveja. Nosso cachorro estava junto e visivelmente desconfortável com a movimentação de tantas pessoas. “Eu tenho água fresca aqui para ela!” — disse uma senhorinha, se referindo ao cachorro, enquanto passávamos na frente de seu atelier quase escondido em uma viela. Explicamos que também tínhamos água, mas dificilmente … Continuar lendo Água fresca

Pripyat, a cidade fantasma de Chernobil

Por trás de uma catástrofe, esconde-se uma história humana. Era difícil acreditar que em meio aquele cenário tão florido, com o sol brilhando e pássaros cantando, em nada podíamos tocar. Tudo parecia estar no seu devido lugar. Foi essa a sensação que tive ao chegar em Pripyat, a cidade fantasma de Chernobil. Pripyat: antes e depois do desastre Pripyat fora projetada e construída para os trabalhadores … Continuar lendo Pripyat, a cidade fantasma de Chernobil

Guarda-chuva

Nunca me achei uma pessoa adepta à guarda-chuvas. Constatei minha teoria quando morei na Inglaterra. Lá guarda-chuva é coisa séria. As pessoas lidam com esse apetrecho com assaz destreza que parecem seguir uma série de regras de etiqueta com a sombrinha na mão. Movem para cima, para o lado, se abaixam…fazem manobras incríveis para não esbarrar no guarda-chuva vizinho sem se molharem, tudo isso com … Continuar lendo Guarda-chuva