Hakuna matata!

Hoje conversando com minha amiga e tatuadora, eu disse que queria tatuar uma frase em Swahili: hakuna matata!

– Sem problemas! É como tô vivendo aqui apesar de vários problemas hahaha – eu disse pra ela.

– Isso ai! – ela respondeu – e com certeza são problemas de verdade, não dúvidas existenciais que nós, meros mortais, costumamos postular como problemas.

Sou uma mera mortal e tenho dúvidas existenciais. Também costumava ser uma bela reclamona. Ao menos era há uns anos atrás. Com o tempo fui dando valor pras coisas simples e hoje tudo que preciso é de uma mochila e um mapa. Na verdade o mapa é relativo, porque eu me perco em todo lugar. Talvez pra me encontrar e reencontrar.

Sempre viajei e já morei em alguns países, mas nada se compara a essa experiência no Quênia. Aqui todo problema parece ser pequeno comparado com as histórias que ouço diariamente. Parece não, são.

Faltou energia? Vela. Faltou água? Balde. O motorista do ônibus ta fugindo pra não pagar multa? Pula do ônibus em movimento. O trabalho ta pesado? Respira fundo e ouve uma música. E por aí vai.

Ouço os pequenos problemas de amigos no Brasil que acabam se tornando grandes problemas e os compreendo. Problemas não devem ser comparados. Mas as vezes a gente faz uma tempestade em copo d’água, ao invés de parar, respirar e encontrar uma solução, ou então, deixar pra lá.

Quão grande são nossos problemas?

Eu vejo os refugiados com aquele brilho no olhar todos os dias, com aquele sorriso no rosto e tudo parece bem. Aí quando me servem o almoço, um prato  cheio de muita comida, eu lembro que eles comem o máximo que podem nessa hora, por muitas vezes não ter o que comer a noite. Eu lembro que eles dormem em quase 10 pessoas num quarto do tamanho do meu e, mesmo assim, acolhem sempre mais alguém se precisar. Eu penso nas crianças que até alguns dias atrás não tinham sequer um lápis pra escrever e, mesmo assim, continuavam indo pra escola.

Eu já ouvi gente comentar coisas do tipo “se eles acham que aí é bom, imagina como era a vida do país de onde vieram?”. Era bem melhor, se não fosse pela guerra. Viviam em melhores condições. Foram perseguidos e torturados. Fugiram para sobreviver. Largaram tudo, recomeçaram do zero. Tudo isso com a cabeça erguida e a esperança de que as coisas melhorem cada vez mais.

E aqui estão, cheios de luz. Passando cada vez mais essa luz pra mim.

Muitas vezes me sinto impotente. Mas a cada agradecimento sincero e abraço apertado eu percebo que, por mais pequeno que seja, alguma coisa eu estou fazendo, junto com muita gente mundão afora, pra que os problemas deles se tornem menores, fazendo até com que eu esqueça dos meus.

Me sinto leve e desapegada.

Hakuna matata!

Anúncios

3 comentários sobre “Hakuna matata!

  1. Que demais surgir toda essa reflexão a partir de uma rápida conversa nossa!! E eu aqui, exatamente pensando sobre minhas questões e também no quão pequenas elas são, me sinto feliz e agradecida por ter conhecido você e sua grandiosidade!!! ❤

    Curtido por 1 pessoa

  2. Nossa, quão reconfortante foi ler teu relato de ‘conviver com leveza e desapego’.
    Como tu mesma disse, problema não de compara, mas a coragem de levantar a cabeça e continuar todos os dias é comparável, e na realidade em que te encontras é admirador.
    Muito obrigada por ajudar a vermos que sempre podemos mais! ( :

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s