Dos diferentes pratos.

Sou péssima na cozinha, mas todas as vezes que moro fora ganho 3kg. É regra! Nem mais, nem menos. Estou começando a desconfiar que a culpa é da gravidade, pois piso em terras tupiniquins e os 3kg somem rapidinho.

Enfim, não ser uma boa cozinheira faz você passar vergonha quando tem que cozinhar um prato típico do seu país para os amigos. Então eu sempre acabo oferecendo a sobremesa: brigadeiro! Aí está algo que eu sei fazer, modéstia a parte, muito bem! Mesmo sendo uma aventura encontrar o tal do leite condensado. Aqui, por exemplo, só importado, ou seja, caro.

Então hoje foi o dia de levar essa iguaria brasileira pros meus companheiros de trabalho (que adoraram!). Conviver com pessoas de outros países proporciona várias trocas de experiências, inclusive trocas gordinhas como essas, se você é aberto pra experimentar qualquer coisa.

Aqui é comum comer arroz, feijão e abacate. Me sinto em casa. Mas também tem as comidas típicas como o Ugali, uma massa que se come com a mão; e o Chapati, uma espécie de panqueca tradicional da Índia. Os congoleses comem Kanyah, que é basicamente arroz doce. Também é comum comer carne de bode. A comunidade é cheia deles na estrada e nos açougues sem refrigeração. Por não ser muito confiável, estou evitando comer carne.

Na Colômbia eles adoram ovo! Passei uma semana comendo basicamente tudo feito com ovo: omelete, deditos, arepa de huevo e por aí vai. Além disso, sabem aproveitar banana verde e madura fazendo pratos salgados: patacon e tajaditas (os quais aprendi com minha hermanita quando morou comigo no Brasil).

Já comi risoto feitos por amigos árabes (arroz com uma espécie de iogurte) numa bacia dividida com mais gente. Detalhe: só podia comer com a mão. Experiencia diferente! Já aceitei o café irlandês por cinco mangos num hostel: bacon, ovo e torrada. Já comi carne crua na frança e diversos tipos de salsicha na Alemanha, além do famoso hot dog: pão com uma salsicha com o dobro do tamanho. Me surpreendi com a comida típica húngara: frango empanado com recheio de queijo. Constatei que americanos comem muito, depois de pedir uma torrada pro café da manhã numa lanchonete e ver o cara ao meu lado com uma montanha de panquecas e geleia. Comi pato na Itália achando que era frango (o gosto é igual) e nunca esquecerei o bolo de cenoura da Eslováquia.

Isso pode não ter me proporcionado quilinhos a mais, visto meu porte físico, mas com certeza me proporcionou uma troca cultural imensa! É interessante observar como cada nacionalidade prepara de diferentes formas algo comum.

Mas, no fundo, sempre sinto saudade da comida da vovó.

Na esquerda (de cima pra baixo): brigadeiro com os refugiados, risoto árabe e salsichas na Alemanha. Na direita: chapati, ugali e patacon.
Na esquerda (de cima pra baixo): brigadeiro com os refugiados, risoto árabe e salsichas na Alemanha.
Na direita: chapati, ugali e patacon.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s