Das surpresas no roteiro.

Hoje saindo para comprar umas frutas, dei de cara com um grupo de pessoas vestidas com túnicas brancas e alguns detalhes em preto, vermelho e verde (cores da bandeira do Quênia) andando no meio da rua e cantando, enquanto um homem carregava uma bandeira com escritos que, infelizmente, não me lembro agora. Estava sem o celular para registrar o momento mas se tratava de um grupo religioso, com certeza.

Lembrei do dia que estava andando pela ponte Vecchio de Florença e um grupo de hare krishna surgiu cantando “hare krishna hare hare” enquanto eu achava tudo fantástico e dançava conforme a música.

Viajar tem dessas surpresas. Como o grupo de dança de salsa no meio do centro de Varsóvia, onde qualquer um podia se juntar ou a gravação de um comercial de uma companhia aérea no meio de Montevidéu; os dançarinos de rua nas praças de Paris, Milão e Dublin ou um festival de gaitas de fole na praça George de Glasgow.

Sem contar os artistas como um pianista no centro de Innsbruck, uma banda bacana no centro de Cambridge ou uns loucos fazendo uma apresentação mais louca ainda no meio da rua em Antuérpia.

Eu adoro os músicos de rua. As vezes converso com alguns, como o uruguaio que passou um tempo vivendo no Brasil pra aprender sobre nossa música e hoje canta aos quatro ventos nas ruas de Colônia del Sacramento.

Além disso, tem os eventos que surgem no meio do caminho enquanto você se perde pela cidade, como a feirinha de comida em Budapeste, onde os nomes das trufas estavam todos em húngaro e você compra umas dez diferentes sem medo de ser feliz; ou um evento cheio de comida, música e brinquedos pra crianças e adultos como o de Dusseldorf, onde vários jovens uniformizados bebiam, cantavam e se divertiam depois de uma partida de futebol e você acaba entrando no clima e nem liga pra chuva forte que começa em seguida.

O casamento em Varsóvia onde os noivos dividiam um bicicleta esquisita; o grupo de dança típica croata em Porec e colombiano em Cartagena; um banco com café em Bratislava; um grafite direcionado pra você em Lisboa; um banho surpresa em Cascais; dançar ao som de Rage Against the machine em Liverpool; o ensaio de carnaval em Ouro Preto.

São pequenos detalhes como esses que tornam uma viagem única. Não tem no mapa, não tem no roteiro. Acontece na hora e você só aproveita o momento.

Da esquerda para direita: festival de gaita de fole em Glasgow; dança colombiana em Cartagena; gravação de comercial para Tv em Montevideo; pacal humano em Dusseldorf; pianista em Innsbruck; loucos em Antuérpia; grafite em Lisboa; casamento em Varsóvia e um panda com roller!!
Da esquerda para direita: festival de gaita de fole em Glasgow; dança colombiana em Cartagena; gravação de comercial para Tv em Montevidéu; pacal humano em Dusseldorf; pianista em Innsbruck; loucos em Antuérpia; grafite em Lisboa; casamento em Varsóvia e um super panda com roller!!
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s